Páginas

terça-feira, 18 de março de 2014

Pilotos de aviões comerciais reclamam que maior central elétrica solar do mundo, financiada pelo Google, cega quem sobrevoa a área, devido á grande quantidade de luz refletida.




Oficialmente inaugurada em fevereiro de 2014, a usina de energia elétrica solar da Ivanpah Solar Electric Generating System na Califórnia, perto de Las Vegas, vem causando muitos comentários, relata o portal de notícias  “Enterprise Press”.

A planta, que tem 300 mil espelhos com o objetivo de refletir a luz do sol em três torres enormes com tanques de água, produz eletricidade limpa suficiente para abastecer 140 mil casas, gerando 392 MW e ocupando 13 quilômetros quadrados ou 1300 hectares, ao custo de 2,2 bilhões de dólares ( 5 milhões de dólares por MW instalado).

Mas a intensidade da luz refletida é tão alta que os pilotos voando sobre o território ocupado por essas instalações ficam cegos.

Os pilotos de aviões comerciais e pequenos aviões particulares já estão há um mês reclamando e alertando para o perigo daquela usina para a segurança de vôo. 

Alguns deles já dizem que em alguns casos é impossível ver ao redor em um espaço de cerca de 14 quilômetros quadrados, sendo impossível observar a olho nu a possível presença de outras aeronaves. 
Dezenas de voos diários partem do Aeroporto Internacional McCarran, em Las Vegas, sobre a zona da usina. Preocupado com a segurança dos passageiros, o Aeroporto Internacional McCarran, em Las Vegas, decidiu enviar uma queixa formal para Teresa Mothey, diretora da empresa proprietária da usina, a Bright Source Energy. 

Fonte: Setorial News - 17/03/2014