Páginas

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Abrapch decide entrar com mandado de segurança contra leilão A-3

Associação vai pedir liminar para impedir certame marcado para o dia 6 de junho
A Associação Brasileira de Fomento às Pequenas Centrais Hidrelétricas decidiu nesta terça-feira, 27 de maio, entrar com um mandado de segurança, com pedido de liminar, na justiça federal para adiar a realização do leilão A-3, marcado para o próximo dia 6 de junho. Segundo o presidente da Abrapch, Ivo Pugnaloni, além do adiamento, a medida visa solucionar alguns problemas no edital, como transparência dos dados, preços considerados inexequíveis e desequílibrio da matriz energética pela falta de complementação entre fontes renováveis.

De acordo com o executivo, já que o governo considera solucionada a questão da segurança energética, ao afirmar que não há risco de racionamento, deve voltar sua atenção para a redução do custo de geração através das fontes renováveis. A Abrapch tentou, no ano passado, barrar um dos certames, mas não teve o pleito reconhecido pela justiça por ter menos de um ano de atividiade. “Agora temos mais de um ano não haverá questionamento de legitimidade”, afirmou o executivo à Agência CanalEnergia.

As PCHs tem preço-teto de R$ 148 por MWh no certame, mas os agentes do segmento defendem uma faixa de R$ 160 a 175/MWh. O leilão conta com 527 empreendimentos com 16,2 mil MW inscritos, sendo 17 PCHs com 296 MW. As usinas eólicas são a maioria com 494 projetos com 12.286 MW.

Fonte: Canal Energia – 27/05/2014