Páginas

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Vereador de Guaíra discute extração de xisto na Argentina

O vereador por Guaíra, Almir Bueno, participa nesta semana de atividades em Neuquén, na Argentina a fim de visitar os locais de extração do gás xisto por fraturamento hidráulico (fracking) e conhecer a realidade do local, que utiliza esse tipo de extração e quais as suas consequências. O objetivo é estudar as vantagens e desvantagens da utilização desse sistema, que tem gerado polêmica e é objeto de projeto de lei que está em debate na Câmara de Guaíra e também nas Câmaras de Toledo, Cascavel e Foz do Iguaçu.
O fracking é um sistema de extração de xisto que utiliza explosões e água sob pressão no solo, a fim de liberar o gás. Ele utiliza diversos produtos químicos nesse processo, o que gera preocupação de ambientalistas em função dos impactos ambientais decorrentes dessa prática.
As atividades envolvem visitas aos campos de exploração da região de Neuquén, bem como reuniões com autoridades do Executivo e Legislativo local, movimentos sociais, empresários rurais, autoridades ambientais responsáveis pela autorização do uso do fracking e fiscalização dos mesmos, dentre outras lideranças envolvidas no debate sobre a extração de gás xisto, através do fraturamento hidráulico.
O vereador integra uma comitiva com demais vereadores da ACAMOP (Associação de Câmaras e Vereadores do Oeste do Paraná), que saiu do Brasil no último dia 4 e regressa hoje.
Neuquén era a maior produtora de maças do país, mas a comercialização do produto está proibida nos países da União europeia em função do uso do fracking, que gerou a contaminação das águas na região. O oeste do Paraná foi uma das áreas no Brasil em que a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) autorizou a utilização do fraturamento hidráulico para extração de gás. Diante das manifestações populares contrárias, a autorização está temporariamente suspensa.
Uma das preocupações da população do Oeste do Paraná é que a extração de gás não convencional contamine o aquífero Guarani e comprometa a produção agrícola no caso de contaminação dos lençóis freáticos.
Guaíra
Em agosto, a Câmara Municipal de Guaíra organizou uma palestra sobre o tema, buscando esclarecer o que é fracking e quais as consequências ambientais de sua utilização. Outra audiência está sendo organizada, com objetivo de ampliar a divulgação sobre o assunto e envolver a comunidade nessa discussão.
De autoria do vereador Almir Bueno, e coautoria dos demais vereadores, está em debate o projeto de lei 055/2014, que dispõe sobre a proibição de instalação, em todo território do Município de Guaíra, de empresas que visem a exploração do gás de xisto através do método de faturamento hidráulico – “fracking”. 

Fonte: Umuarama ILUSTRADO